quarta-feira, 13 de março de 2013

Como Evitar que uma Bruxa Entre em Sua Casa

Já houve tempos - na Idade Média, e mesmo depois dela - em que a maioria das pessoas, inclusive as bastante instruídas, acreditava piamente na existência de bruxas, criaturas terríveis que, graças aos relacionamentos infernais que mantinham, eram capazes de lançar sobre os desafetos terríveis malefícios.
Tente contar todas as "agulhas" de um junípero!
Quem se supunha pessoa de juízo, tratava de ser previdente, evitando passar por lugares escabrosos em horas inoportunas, não fosse o caso de dar-se um mau encontro com alguma bruxa; mas, como nem sempre isso era possível, buscava-se, ao menos, tomar alguma providência para evitar que ela, mesmo sem ser convidada, acabasse entrando em casa. Para isso, havia em alguns lugares uma crença interessante.
Coisa simples: era apenas necessário plantar à entrada da casa um junípero, porque haveria um "regulamento", segundo o qual nenhuma bruxa (acreditava-se) poderia, nesse caso, adentrar à residência, sem primeiro contar e dar o número exato de agulhas que o dito junípero tivesse. Tarefa insana, vê-se, mesmo para uma bruxa. Mais insano ainda era combater uma superstição... com outra superstição!
Fica, no entanto, a sugestão, para a eventualidade de algum de meus leitores pensar que alguma bruxa (seja lá de que tipo for) anda a lhe rondar os passos: basta plantar um junípero. Pode não resolver o problema, mas com uma árvore a mais, o planeta ficará um pouco mais simpático.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.