quarta-feira, 29 de julho de 2015

Conselhos de Hesíodo Para Camponeses e Navegadores Gregos da Antiguidade

Sátira da colheita da uva, de acordo com uma ânfora grega (¹)

Hesíodo, o poeta grego, viveu por volta do Século VIII e/ou VII a.C.,  de modo que, em seus dias, a maioria das pessoas passava quase toda a existência em tarefas relacionadas à agricultura e pastoreio. Não chega, pois, a ser nenhuma surpresa que a mais famosa de suas obras, Os Trabalhos e os Dias (ao lado da Teogonia), trate exatamente das ocasiões mais favoráveis, ao longo do ano, para as atividades agropastoris, que, devidamente executadas, podiam garantir o sustento da população, em tempos nos quais prover alimento, particularmente durante o inverno, podia ser um problema sério.
Portanto, Os Trabalhos e os Dias apresenta conselhos para os camponeses gregos, daquela época que o próprio Hesíodo acreditava ser uma "Idade de Ferro":
"Quando as Plêiades, filhas de Atlas, aparecem, é hora de dar início à colheita; quando, porém, desaparecem, chegou a hora de cultivar a terra." (²)
"Trabalho protelado não abastece celeiro."
"Não procure a sombra, nem permaneça na cama pela manhã, ao tempo em que o calor de Hélios faz secar o suor."
Acontece que, em parte devido às características naturais do território que ocupavam, com litoral bastante recortado, os gregos vieram a ser bons navegadores, tendo em vista a realização de empreendimentos comerciais. Era simples: um eventual excedente na produção podia (e até devia) ser vendido em condições vantajosas. Navegar tinha seus riscos, mas trazia lucros e proporcionava uma certa variedade nos artigos disponíveis para consumo.
Para isso, também, Hesíodo tinha lá seus palpites, ainda que demonstrasse não ser um grande adepto dos riscos inerentes às viagens marítimas:
"Para os mortais, a época favorável à navegação tem início cinquenta dias após a conversão de Hélios (³), quando se aproxima o final do verão de muitos trabalhos. Nessa ocasião nenhum barco se quebrará, nem homem algum morrerá no mar, a não ser por intervenção de Poseidon, que faz tremer a terra, ou de Zeus, rei dos deuses, que decidem se virá o sucesso ou o mal." (⁴)
Era também possível navegar na primavera:
"A primavera também é favorável a quem navega; o mar pode ser percorrido quando, na figueira, brotam as primeiras folhas (...)."
Entretanto, era prudente, segundo Hesíodo, não brincar com o humor dos deuses. Quem navegava devia, tanto quanto possível, retornar cedo, não fosse o caso de alguma infelicidade alcançar o ambicioso navegador e comerciante:
"Volta logo para casa, sem esperar pelo vinho novo, pelas chuvas de outono ou pela chegada do inverno (...), quando a navegação se faz impossível."

(1) BUSCHOR, Ernst Griechische Vasenmalerei
Mûnchen: R. Piper & Co., 1913, p. 144
A imagem foi editada para facilitar a visualização neste blog.
(2) Todas as citações de Os Trabalhos e os Dias aqui apresentadas são tradução de Marta Iansen, para uso exclusivamente no blog História & Outras Histórias.
(3) O solstício de verão no Hemisfério Norte.
(4) Para os antigos gregos, o destino dos homens estava submetido aos caprichos dos deuses do Olimpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.